Pelo segundo mês consecutivo, a bandeira tarifária será vermelha – patamar 2. Isso significa que a cada 100 kWh o consumidor pagará R$ 5,00 a mais na conta de energia.
Com a situação já crítica nos reservatórios de água, a preocupação é ainda maior porque as previsões meteorológicas apontam que as chuvas mais fortes, as que de fato enchem as represas, devem começar apenas em meados de outubro ou novembro. Até lá as chuvas serão abaixo da média, o que pode gerar mais preocupação e necessidade de repensar nossos padrões de consumo.
Para Genildo Oliveira, presidente do Conselho de Consumidores da Energisa, é fundamental que os cidadãos se conscientizem cada vez mais da importância na redução do consumo independentemente da bandeira tarifária em vigor. “Já passou da hora de cada consumidor entender que nossos recursos são naturais e finitos. É preciso começar a trabalhar a mudança de comportamento e padrão de consumo”, enfatiza.
Segundo Genildo, existe uma estimativa de que a população tenha reduzido seu consumo em 13%. “Ainda é pouco. Para que tenhamos uma margem de segurança maior o ideal é chegarmos a 20%. Temos de pensar em ações de longo prazo, pois nosso sistema é muito dependente das chuvas e elas estão cada vez mais escassas”, diz.
MaisPB