papa francisco encontro lideranças cristãs orientais - 'Que a humanidade escute o grito das crianças', pede Papa Francisco durante discurso sobre o Oriente Médio

O Papa Francisco lançou hoje uma chamada para os “que têm poder” trabalharem pelo verdadeiro serviço da paz e não pelos próprios interesses e disse: “chega de usar o Oriente Médio para obter benefícios alheios ao Oriente Médio!”.

A mensagem foi dada pelo Papa em Bari, no sul da Itália, onde convocou em reunião sem precedentes com representantes de todas as Igrejas cristãs do Oriente, entre eles 22 patriarcas ortodoxos com os quais se reuniu durante mais de duas horas.

“Chega do benefício de uns poucos às custas de muitos. Basta das ocupações das terras que acabam com os povos. Basta de usar verdades parciais à custa das esperanças das pessoas. Basta de usar o Oriente Médio para obter benefícios alheios ao Oriente Médio.”, exclamou.

Francisco lembrou o drama da guerra na Síria e destacou que “muitos conflitos foram fomentados também por formas de fundamentalismo e fanatismo disfarçado de pretextos religiosos”. Segundo ele, isso “é uma gravíssima responsabilidade que pesa sobre a consciência das nações, especialmente das mais poderosas”.

Francisco confessou se sentir “profundamente angustiado” pela situação em Jerusalém e reiterou sua chamada para que seja “preservada além das distintas disputas e tensões e cujo status quo exige que seja respeitado de acordo com o deliberado pela Comunidade internacional”.

Além disso, insistiu que “só uma solução negociada entre israelenses e palestinos, firmemente desejada e favorecida pela Comunidade de Nações, poderá dirigir a uma paz estável e duradoura e assegurar a coexistência de dois Estados para dois povos”.

Ele ainda relembrou que o Oriente Médio é o local de origem de Jesus Cristo e do próprio Cristianismo, segundo publicou o Vantican News. “Em vez de usar armas, Jesus pediu a seus discípulos que as guardassem” disse.

O pontífice concluiu com uma reflexão sobre o “aterrorizador número” de crianças que no Oriente Médio “choram por causa de mortes violentas em suas famílias e veem sua terra natal ameaçada, frequentemente com a única possibilidade de ter de fugir”. “Que a humanidade escute o grito das crianças, cuja boca proclama a glória de Deus. Só secando suas lágrimas o mundo encontrará a dignidade”, disse o papa.

Fonte: Veja