politica

O governador Ricardo Coutinho (PSB) avaliou como “normal” a pressão que o Democratas e o Partido dos Trabalhadores fazem sobre espaços na chapa majoritária encabeçada por João Azevêdo (PSB). O DEM pleiteia uma vaga na vice-governadoria, e no último final de semana lançou oficialmente Efraim Morais como opção para o cargo, e o PT busca um espaço para o Senado Federal, com a vaga sendo ocupada possivelmente por Luiz Couto.

Leia também: Efraim Filho explica que não há definição e evento lança Morais como opção para vice do PSB

Questionado sobre a pressão dos partidos pelos espaços, além de avaliar como normal, o governador se distanciou do processo de formação de chapa. “Não tenho visto nem de uma forma nem de outra. Mas acho normal, legítimo. E João Azevêdo saberá conduzir, ao lado de todos aqueles que coloquem como prioritária a continuidade das mudanças que na Paraíba está acontecendo”, afirmou Ricardo.

Ainda segundo o socialista, o projeto do PSB visa agregar ideias e ações, não foca em nomes que representem projetos individuais. “Não é a ‘fulanização’ da política, isso fica para o outro lado. Eles que estão olhando desconfiado um para o outro, esperando quem vai trair quem amanhã. Nós não. Estamos numa caminhada correta e positiva”, disse.

“Quem sou eu para saber da formação da chapa?”

Uma sigla que também está aberta a diálogos é o Partido Progressista (PP). O grupo liderado pelo deputado federal Aguinaldo Ribeiro está à deriva. Questionado se o PP poderia compor com o PSB, Ricardo novamente distanciou-se do processo da formação da chapa. “Eu não sei, tem que perguntar ao PP. Não sei, tem que saber com o PP e com João Azevêdo. Quem sou eu para saber da formação da chapa?”, finalizou.

Fonte e Crédito: Blog do Gordinho