Você liga a televisão e lá está Marina Ruy Barbosa anunciando as últimas novidades em maquiagem. Dá uma zapeada, e a ruiva é vista jogando os cabelos de um lado para o outro mostrando o quanto uma linha de xampus pode fazer milagres. Folheia uma revista, e a atriz está deslumbrante numa campanha de calçados. Tudo isso é resultado de uma imagem que reflete bem mais que o ar sofisticado dessa jovem bem-sucedida.

O mercado publicitário vive um caso de amor com Marina. A atriz é uma maquininha registradora para as marcas que se associam a ela. “Além de ser um ícone fashion e imprimir sofisticação, Marina é dedicada, superprofissional e de verdade”, elogia Claudio Ravikz, gerente de publicidade da Renault Brasil: “A empresa ganhou dez vezes mais do que investiu nela”.

Não à toa, Marina brinca que pode até pedir um aumento na renovação do contrato. Há dois anos fazendo propaganda para a montadora, na última passou 15 horas numa piscina para encarnar uma sereia e faz sua estreia internacional. O comercial será exibido na Argentina e Colômbia.

Quem a vê alongando seus 1,67m em saltos altíssimos de grife, não imagina Marina com uma blusinha furada: “Você não me viu chegando ao Projac às 6h, toda bagunçada. Uso blusa furada, sim”. Não que precise. Seu staff e a própria atriz não falam de cifras. Sabe-se, no entanto, que um post em seu Instagram, por exemplo, não sai por menos de R$ 60 mil. “Meu sonho sempre foi ser atriz e eu amo atuar. Tudo o que faço é porque acredito. Não anuncio alguma coisa que eu não use”, garante ela, que acabou sendo alvo de críticas por fazer uma campanha de papel higiênico na cor preta: “Não foi uma crítica direcionada a mim, mas pedimos desculpas”.

Para Marcos Brandão (que desmente a pupila ao dizer que às 6h da matina ela já está impecável), Marina já nasceu pronta. “Ela veio para mim quando tinha 16 anos. Marina é muito focada. É difícil você ver uma menina de 22 anos, nesse meio, que troque uma balada por um compromisso profissional e fique feliz”, avalia o empresário: “Não acredito em pessoas fabricadas, você até molda alguma coisa, mas isso está na essência”.

Com todo esse status de estrela, ela começa a despertar o olhar estrangeiro. Primeiro, foram as grifes internacionais. Marina tem parceria com Valentino e é embaixadora da Dolce & Gabbana, que, inclusive, fez seu vestido de casamento com Xandinho Negrão. Um estudo encomendado pela Renault a uma empresa americana apontou Marina como a 25º celebridade (entre atores e atrizes) mais influente do mundo e a primeira no Brasil. A moça pisa em Robert Downey Jr, o Homem de Ferro, por exemplo, que está em 26º neste ranking.

O que ela tem?

Com 24 milhões de seguidores no Instagram, Marina poderia vender gelo para esquimó. “Quis saber dos meus seguidores por que me seguiam. As respostas foram as mais variadas e vejo que essa relação é sólida. Eles vêm quem eu sou”, observa: “Meus colegas de elenco dizem que sou irritantemente feliz. Acho que isso reflete em tudo que me proponho a fazer”.

Com tantos olhos sobre ela, existem os grandes, claro. E Marina liga? “Já me disseram para proteger o umbigo, por onde entram as energias. Não faço nada. Minha maior proteção está em casa. Me casei com o melhor marido do mundo. Me recosto no peito dele e sei que estou bem”.

Extra