Depois de admitir que “dezenas de milhões” de dados de usuários foram acessados pela consultoria Cambridge Analytica, o presidente executivo e cofundador do Facebook, Mark Zuckerberg, disse na noite desta quarta-feira em entrevista à rede americana CNN que quer garantir a integridade das eleições no Brasil e na Índia.

“Há uma grande eleição no Brasil, há grandes eleições em todo o mundo. Pode apostar que estamos muito comprometidos em fazer tudo o que pudermos para garantir a integridade dessas eleições no Facebook”, afirmou Zuckerberg. O executivo destacou as fake news (notícias falsas) como grande problema a ser combatido na internet.

Na entrevista, Zuckerberg lamentou o escândalo do vazamento de dados dos usuários de sua rede social e disse que não deveria ter confiado na consultoria britânica Cambridge Analytica, contratada pela campanha presidencial de Donald Trump em 2016. Ele também afirmou que testemunhará no Congresso americano “se for a coisa certa a se fazer”.

Reconhecimento. Ontem, Mark Zuckerberg afirmou que a rede social irá investigar todos os aplicativos que tiveram acesso a um grande volume de dados pessoais de usuários. O executivo também anunciou que fará uma auditoria completa em qualquer aplicativo com atividade suspeita e banir “qualquer desenvolvedor que não concorde com a auditoria”. As declarações do executivo foram publicadas em seu perfil oficial no Facebook, três dias após reportagens dos jornais The Observer e The New York Times revelarem um esquema de uso de dados de mais de 50 milhões de usuários da rede social pela empresa de inteligência Cambridge Analytica.

Zuckerberg também disse que irá restringir a quantidade de informações compartilhadas com terceiros para evitar casos semelhantes. “Vamos reduzir os dados que você dá a um aplicativo quando você assinar –para apenas seu nome, foto de perfil e endereço de e-mail”, afirmou. “Vamos exigir que os programadores não só sejam aprovados, mas também assinem um contrato para pedir a qualquer pessoa que dê acesso à suas publicações ou outros dados privados.”

O executivo também disse que, a partir do próximo mês, o Facebook deixará mais claro para os usuários quais dados são usados pelos aplicativos terceirizados. “Vamos mostrar a todos uma ferramenta na parte superior do feed de notícias que terá os aplicativos usados no Facebook e uma forma fácil de revogar as permissões de uso de dados. Já temos uma ferramenta para fazer isso nas Configurações de privacidade e agora vamos colocar esta ferramenta na parte superior do feed de notícias para garantir que todos vejam”, completou.

Fonte: Estadão