O papa Francisco telefonou, nesta terça-feira (20/3), para a mãe da vereadora assassinada Marielle Franco (PSol), segundo afirmou em sua conta no Twitter a Fundación Alameda, liderada pelo amigo pessoal do pontífice, Gustavo Vera.

A entidade detalhou que, em um primeiro momento, a filha de Marielle escreveu uma “afetuosa carta” a Francisco, que chegou ao pontífice através do argentino Gustavo Vera, amigo do papa desde que este era arcebispo de Buenos Aires. No texto, Luyara Santos contava que a mãe era muito crente, sempre lhe falava do evangelho e insistia que o mais importante da vida era o amor.

Posteriormente, o líder católico tentou entrar em contato com Luyara, mas só conseguiu falar com a mãe da vereadora. A chamada foi confirmada por Andressa Caldas, diretora do departamento de relações institucionais do Instituto de Políticas Públicas em Direitos Humanos do Mercosul.

Fonte: Metrópoles