politicaTião Lucena

Fico perguntando o que precisa acontecer mais na política desse Brasil para alguém tomar uma providência e botar o país nos eixos. Quando penso que já vi tudo, aparece sempre uma novidade, como essa do senador Aécio Neves, mais uma. O rapaz, neto do inesquecível Tancredo, enriqueceu três vezes mais depois das eleições de 2014. Isso mesmo. Enquanto outros políticos saem das campanhas devendo os cabelos da cabeça, Aécio, que perdeu as eleições, triplicou o patrimônio.

Esse moço quase se tornava presidente do Brasil. Os tucanos daqui o apoiaram. Tinha um que o chamava de irmãozinho. Pois o irmãozinho peralta, que continua solto e com mandato, virou trilionário. E é porque, mesmo tririco, ainda pegou uma merreca de 2 milhões com um dos irmãos Batista, dizendo que era para pagar ao advogado.

O que mais se lamenta nisso tudo  é a visão tendenciosa da justiça brasileira. A punição é sempre dirigida ao PT. Foi do PT, tome sentença, tome caneta. Os bandidos das outras siglas debocham, mangam, tiram fotos ao lado de magistrados, trocam beijinhos, se abraçam, jantam juntos e juntos degustam  os melhores vinhos, mas a Lula foi aplicada uma pena de 12 anos de cadeia porque, supostamente, é dono de um tríplex.

Me diga aí uma coisa, senhor entendido em números: O tríplex supostamente de Lula é o que, perante os milhões de Aécio Neves? E por que Aécio permanece impune, com mandato e tudo o mais?

Lembre-se, leitor, que o neto de Tancredo voltou ao Senado porque foi autorizado pelos senadores. Veja quem do seu Estado votou pela volta imoral desse marginal e em outubro negue-lhe o voto. É o mínimo que você pode fazer para tentar salvar nossa nação. Não vote em trambiqueiro, em cumplice de trambiqueiro e em mentiroso.