247 – O ministro da Educação, Mendonça Filho, tem 10 dias para prestar esclarecimentos à Comissão de Ética Pública da Presidência sobre as ameaças de censura que fez contra o professor Luis Felipe Miguel, que ministrará na UnB uma disciplina sobre o Golpe de 2016.

Mendonça Filho foi acusado pelo ex-reitor da Universidade de Brasília, José Geraldo de Sousa Junior, de abuso de autoridade, ao afirmar que havia solicitado à Advocacia-Geral da União, ao Tribunal de Contas da União e ao Ministério Público Federal apuração de improbidade administrativa por parte dos responsáveis pela criação da disciplina na UnB.

A tentativa de censura de Mendonça Filho gerou dezenas de críticas no meio político e acadêmico. A iniciativa do ministro também contribuiu para popularizar a disciplina entre outras universidades do País. Depois da UnB, a Unicamp, UFBA e UFAM já anunciaram que irão ofertar a disciplina.