Os repasses do governo federal a estados e municípios para ações voltadas a situações de emergências epidemiológicas, como um surto de febre amarela, foram reduzidos em 33% em 2017. Os recursos, que totalizaram R$ 30 milhões em 2016, ficaram em R$ 20 milhões no ano passado, de acordo com o Ministério do Planejamento.

O Ministério da Saúde nega a queda de repasses. A Secretaria de Saúde do Estado do Rio resiste à proposta do governo federal para antecipar a vacinação em doses fracionadas contra a febre amarela. Mais uma morte suspeita ocorreu no estado.

Fonte: O Globo