Você, que sabe as quatro operações de conta, me diga aí se a multiplicação de 300 mil vezes 12 resulta num total de 9 milhões, 919 mil e 257 reais.

Eu aprendi tabuada com Dona Alice Maia e nas minhas contas o resultado é outro.Pode conferir para ver se não dá um total de 3 milhões e 600 mil.

Mas a Defensoria Pública, que acusa o Governo de ter repassado 300 mil a menos nos últimos 12 meses, fez essa conta e mandou para a justiça. Quem julgou acatou os cálculos e determinou o bloqueio na conta única , sem ouvir o Estado, dos 9 milhões, 919 mil e 257 reais, assim na tora.

O certo seria ouvir o réu da ação, no caso o Estado, para este tomar ciência, se defender, expor suas razões e, claro, contestar os cálculos da Defensoria.

No mínimo ficou caracterizado o cerceamento de defesa.

Sem contar com o que a própria lei chama de enriquecimento ilícito, já que alguém mudou a matemática a seu favor e cobrou três vezes além daquilo que, supostamente, teria direito.

Eu disse teria, mas deveria dizer não tem.

Quem entende um mínimo de administração pública sabe que não existe isso daquilo que está num orçamento ter de ser cumprido como se fosse uma carta precatória. Orçamento é uma previsão. Como fica o Executivo que só faz o equivalente a 78 por cento do orçamento previsto? Isso é uma violência e uma ilegalidade. Isso não pode ficar por isso mesmo.