A empresa norte-americana Boeing negocia a compra da fabricante de aeronaves brasileira Embraer; informação foi divulgada nesta quinta-feira 21 pelo jornal americano Wall Street Journal, citando pessoas familiarizadas com o assunto; a Embraer, terceira maior fabricante de aviões comerciais do mundo, ganharia um ágio além dos US$ 3,7 bilhões de valor de mercado, disse o WSJ; ações da Embraer negociadas na Bovespa entraram em leilão, após subirem 2,55%, a R$ 16,91, na máxima do dia; a bolsa de Nova York suspendeu temporariamente os negócios com os papéis da Embraer após a divulgação da notícia; às 15:03, os ADRs da companhia subiam 27,9%, a US$ 25,57; o governo brasileiro, ilegitimamente representado por Michel Temer, tem poder de veto e será colocado à prova: vai entregar ou não o patrimônio nacional?

247 com Reuters – A norte-americana Boeing Co conversou com a Embraer sobre uma possível aquisição da fabricante de aeronaves brasileira, informou o Wall Street Journal na quinta-feira, citando pessoas familiarizadas com o assunto.

A Embraer, terceira maior fabricante de aviões comerciais do mundo, ganharia um ágio substancial além dos US$ 3,7 bilhões de valor de mercado, disse o jornal nesta quinta-feira (21).

As ações da Embraer negociadas na bolsa paulista entraram em leilão, após subirem 2,55 por cento, a 16,91 reais, na máxima do dia. A bolsa de Nova York suspendeu temporariamente os negócios com os papéis da Embraer após a divulgação da notícia. Às 15:03, os ADRs da companhia subiam 27,9 por cento, a 25,57 dólares.

A Embraer teve uma receita liquida de R$ 21,436 bilhões em 2016. No terceiro trimestre deste ano, registrou lucro líquido de R$ 351 milhões, revertendo o prejuízo de R$ 111,4 milhões do mesmo período do ano passado.