Responsável pelo escracho do senador Romero Jucá (PMDB-RR), um dos protagonistas do golpe, em um avião comercial nesta semana, a assistente social Rúbia Sagaz diz que quis expor “um criminoso, um corrupto assumidamente criminoso”; “Ele foi baixo, tentou me desestabilizar me chamando de petista, como se isso fosse o motivo para eu estar atacando-o. Tentou desmoralizar os meus argumentos e, agressivamente, tentou tirar o celular da minha mão. Achei que a reação dele foi digna do crápula que ele é e teria sido muito pior, caso as pessoas não tivessem saído em minha defesa”, relata Rúbia, que tem recebido manifestações de apoio de todo o Brasil