Flávio Capitulino é natural de Sousa, cidade no Sertão da Paraíba. Ele mora em Paris há 35 anos, e se tornou um dos mais famosos restauradores de obra de arte do mundo.

Tendo trabalhado na restauração de quadros de grandes pintores, como Matisse, Van Gogh e Leonardo da Vinci, ele ganhou notoriedade nos últimos dias por outro motivo: está no epicentro de um escândalo de roubo de obras do pintor Pablo Picasso, que movimenta valores em torno de R$100 milhões.

O paraibano virou testemunha do caso, por ter restaurados dois quadros de Picasso, que a Polícia suspeita que tenham sido roubados de um arcevo da enteada do pintor espanhol.

Capitulino deu entrevista a um programa de TV, e para ele, não há duvidas de que as peças foram roubadas pelo empresário Olivier Thomas, e que e elas foram repassadas ao russo Dimitri Rybolovlev, colecionador de obras de arte e proprietário do Mônaco, clube de futebol vinculado à Liga Francesa.

Créditos: T5