coluna do Tião Lucena

Tião Lucena

 1 – A palavra arte está muito deturpada nesses tempos modernosos.Qualquer bosta vira arte na ótica dos entendidos. Ora é uma prastada de tinta numa parede, ora é um pedaço de arame enfincado numa tábua e agora é homem nu mostrando a trouxa a uma criança. Sou do tempo em que arte para ser arte tinha que ser coisa bonita, bem feita e de bom gosto. E homem nu em público era imoralidade.
2- A Folha de São Paulo constata que cresce a inadimplência nos financiamentos de carros e imóveis. Isso é decorrência da loucura que impera no país nesse governo do velho metido a novo Michel Temer. Todo dia sobe o preço da gasolina, os supermercados voltaram a remarcar suas mercadorias, tudo aquilo que fora enterrado por Itamar Franco e continuado nos governos seguintes, voltou com gosto de gás.
3 – A coisa está feia para os lados da Prefeitura. As acusações são sérias, mas parece que aos acusados o que menos importa é se defender, se explicar, provar suas supostas inocências. Preferem o ataque aos que divulgam suas coisas, esquecidos de que a imprensa apenas repassa o que recebeu do Ministério Público Federal.
4 – Na quarta-feira, no finzinho do dia,é comum se encontrar as madames da cidade com suas unhas longas e pintadas, seus vestidos finos, suas calças compridas de grife, andando com sacolas pela Feira de Jaguaribe em busca de mercadoria barata, no queima como se diz lá em nóis.
5- Na Feira de Jaguaribe tem um churrasquinho de bofe que é uma delícia. Meu amigo João do Bar aparece por lá toda quarta e só sai depois que come cinco churrasquinhos com uma meiota de São Paulo para ajudar na descida.
6 – Hoje seria o dia de descer pelo São Roque, em Princesa, no rumo do açougue, onde Augusto Preto fazia a doação de um pedaço de carne de porco pra turma assar no braseiro de Maria Costa e depois comer como tira gosto no Bar de Luizinho de Calu. Ou então ir direto para o Bar de Maria do Ó destrinchar uma traíra torrada com uma dúzia de brahma da antártica.
7 – Os mais taludos faziam um desvio para o cabaré de Estrela, na caça das putas em flor que lhes tiravam as carências e os devolviam à casa paterna risonhos, felizes e querendo mais.
8 – Caso Zé Maranhão decida mesmo se candidatar e chegue a ser eleito governador, terminaria seu mandato com 88 anos, um menino, um pordo como costumava falar finado Zé Marreta.
9 – Falar em Zé Maranhão, quem não o acompanha mais como fiel escudeiro é o jornalista Idácio Souto. Idácio preferiu seguir carreira de empresário bem sucedido. A tarefa que Idácio desempenhava agora cabe a Toinho de Souza.
10- Vocês estão vendo como os processos abertos contra Veneziano Vital do Rego estão sendo arquivados um atrás do outro?E que isso significa que Vené foi perseguido e injustamente processado? O filho de Vital e Nilda vai receber já já uma folha corrida da justiça, mais limpa do que bunda de bebê Johnsom.
11 – E eu daqui mando abraços acochados para Elenildo Arruda Nunes, Veronese Lima, Cicero de Ada, Fred Menezes, Geordim Tampa de Furico, Chola Morato, Vavá da Luz, Chico Pinto,João Camurça,Gutemberg Cabral, Gutemberg Cardoso, Fernando Caldeira, Ademar Nonato, Johnsom Abrantes, Mundinho de Nezinho, Eilzo Matos, Cicero Dentista, Anchieta Gualter Joca Fernandes,Alexandre Maia, Aldo Lopes de Araújo e Francisco Sales Cordeiro.
12 – Era manhã na cidadezinha no interior do Piauí. Em frente ao Ministério Público passava o pequeno menino conduzindo umas cinco cabras. Com esforço o menino fazia caminhar o pequeno rebanho. Uma promotora observava a cena. Começou a imaginar que aquilo era um caso de exploração de trabalho infantil e foi conversar com o menino.
– Olá, meu jovem. Como é o seu nome?
– Tiago, Dra.
– O que é que você está fazendo com essas cabras Tiago?
– É pro bode Dra. To levando elas lá pro sítio de seu João pra elas cruzar…
– Me diga uma coisa Tiago. Seu pai ou seu irmão não podiam fazer isso?
– Já fizéro, até eu já fiz, mas num dá cria… Tem que ser o bode mesmo!