Divulgação/PF

Dinheiro apreendido será transportado para banco, onde valores deverão ser contabilizados

A Polícia Federal localizou, nesta terça-feira (5), um “bunker” com malas recheadas de milhares de reais em um endereço em Salvador atribuído ao ex-ministro da Secretaria de Governo Geddel Vieira Lima (PMDB). A ação faz parte da Operação Tesouro Perdido, desdobramento da Cui Bono. O dinheiro será transportado para um banco, onde será depositado em conta judicial. O valor apreendido ainda não foi divulgado.

A descoberta complica a situação de Geddel, que está em prisão domiciliar na Bahia, acusado de obstrução da Justiça. O ex-ministro, que virou réu em 22 de agosto, foi denunciado por tentar atrapalhar as investigações sobre o desvios no FI-FGTS, o fundo de investimentos do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço, no período em que foi vice-presidente da Caixa Econômica Federal. Segundo a acusação, ele tentou impedir o doleiro Lúcio Funaro de fazer delação premiada.

Logo após virar réu, Geddel divulgou nota rebatendo a acusação: “Rechaça com veemência as fantasiosas acusações contidas na denúncia, fruto de verdadeiro devaneio e excesso acusatório. Tão logo notificado pelo juízo da 10ª Vara da Seção Judiciária do Distrito Federal, será apresentada a peça de defesa, oportunidade que demonstrará a inocorrência de qualquer ilícito e a necessidade de rejeição da inepta e inverídica acusação”.

Em julho, o ex-ministro do presidente Michel Temer chegou a passar dez dias no Complexo Penitenciário da Papuda, antes de ter a prisão domiciliar autorizada.