A ex-presidente Dilma Rousseff (PT) palestrou, na tarde deste sábado (22), no auditório da reitoria da Universidade Federal da Paraíba, em aula inaugural do curso de Difusão do Conhecimento em Gestão Pública na Capital. Em sua fala, tratou, principalmente, do momento vivido pelo Brasil e os retrocessos que estão sendo impostos pela atual gestão do governo federal.

Redução no Bolsa Família

Dilma denunciou, ainda, a retirada de 1 milhão de pessoas do programa social Bolsa Família. Segundo ela, eram 13 milhões e agora são apenas 12. Além disso, o programa teria sofrido um corte orçamentário de R$ 800 milhões.

Gestão

Dilma tratou da tendência do tecnicismo no serviço público, mas lembrou que é preciso levar em conta as desigualdades e que o Brasil é o país com maior população negra fora da África. Segundo ela, é preciso definição sobre quem mais precisa dos recursos.

“Lógica do privilégio anda de mãos dados da exclusão”, comentou.

Soberania nacional

Dilma criticou a política do Governo Temer para com o pré-sal e a indústria naval do Brasil e denunciou venda de terras a estrangeiros pelo governo Temer “a preço de banana”.

Golpe

Segundo Dilma, no dia 31 de agosto do ano passado, quando foi afastada da presidência, havia uma especulação sobre se havia sido golpe ou não. Hoje, segundo ela, está provado que foi golpe.

Dilma citou, como evidência, a confissão de Romero Jucá, ao qual defendeu “estancar a sangria”, dizendo que uma das razões do golpe foi livrar os corruptos da investigação. Além disso, lembrou que outro motivador para o golpe foi a implantação de uma agenda neoliberal no país.

“A história está sendo implacável contra os golpistas”, bradou.

 

 

Fonte: WSCOM