A Polícia Civil indiciou o motorista do Uber acusado de estuprar uma adolescente de 16 anos na noite de 11 de junho em Vicente Pires. As investigações, conduzidas pela 38ª Delegacia de Polícia (Vicente Pires), respaldaram-se no testemunho de uma amiga da vítima, que estava no mesmo veículo. O homem responderá por estupro de vulnerável, já que a jovem estava desacordada quando sofreu a violência. Ele responderá ao processo em liberdade por não ter histórico criminal.

Conforme o Metrópoles antecipou, em 13 de junho, as duas meninas chamaram um Uber quando estavam em Águas Claras e seguiram para uma festa que ocorria em um colégio no Guará. Quando chegaram ao local, o evento já havia terminado. Elas, então, decidiram ir para outra festa, dessa vez em Vicente Pires, e acionaram o aplicativo novamente.

No caminho, uma delas pediu para que o motorista parasse, pois precisava urinar. A jovem que desceu do veículo se distanciou cerca de 50 metros e, quando retornou, flagrou o homem em pé, do lado de fora do carro, com a porta traseira aberta. Ele ajeitava as calças enquanto a amiga estava deitada no banco traseiro, desacordada.!’

Mesmo após o abuso, o motorista deixou as adolescentes no local combinado. Quando a vítima começou a recuperar os sentidos, não sabia contar o que tinha ocorrido. Porém, sentia muitas dores. As duas, acompanhadas pelos responsáveis, registraram ocorrência na 21ª DP (Taguatinga Sul). Posteriormente, o caso foi transferido para a unidade de Vicente Pires.

A vítima também foi encaminhada ao Instituto Médico Legal (IML) e ao Hospital Materno Infantil (HMIB), onde tomou medicamentos. A reportagem entrou em contato com o aplicativo Uber para perguntar sobre o caso, mas, até a última atualização desta reportagem, o serviço ainda não havia se manifestado.

Os casos de estupro no DF registraram aumento de 77,4% em maio deste ano em relação ao mesmo período do ano passado, de acordo com levantamento divulgado pela Secretaria de Segurança. Os registros passaram de 53 registros para 94.

Vítima de motorista em Goiânia

Em janeiro deste ano, o motorista de Uber Alexandre Rodrigues de Sousa, 41 anos, foi preso em Goiânia acusado de estupro. Segundo a polícia, ele oferecia corridas fora do aplicativo na saída de boates e shows para abordar as vítimas.

Informações da polícia apontam que o primeiro crime atribuído ao motorista foi no dia 2 de novembro. Imagens de câmeras de segurança mostram uma jovem de 20 anos saindo de um show. Ela é abordada por um homem de camisa preta, que se oferece para levá-la até sua casa por um preço acordado.

Fonte: Metrópoles