OAB volta a pedir saída de Temer e critica cinismo de Rodrigo Maia

O presidente da Ordem dos Advogados do Brasil, Claudio Lamachia, voltou a pedir a queda de Michel Temer, após a bomba deste fim de semana, em que ele foi acusado pelo empresário Joesley Batista de comandar a “maior e mais perigosa organização criminosa” do Brasil; segundo Lamachia, o Brasil não pode continuar pagando a conta por “atitudes pouco republicanas tomadas pelos ocupantes do Poder”; ele também criticou o “cinismo” do presidente da Câmara, Rodrigo Maia, que estaria ignorando os pedidos de impeachment já apresentados – um deles, pela própria OAB; Lamachia, no entanto, não se desculpou por ter apoiado o golpe parlamentar de 2016, que derrubou Dilma Rousseff, a presidente legítima e honesta, instalando uma quadrilha no poder.

O presidente da Ordem dos Advogados do Brasil, Claudio Lamachia, voltou a pedir a queda de Michel Temer, após a bomba deste fim de semana, em que ele foi acusado pelo empresário Joesley Batista de comandar a “maior e mais perigosa organização criminosa” do Brasil (saiba mais aqui).

Segundo Lamachia, o Brasil não pode continuar “sangrando”, nem pagando a conta por “atitudes pouco republicanas tomadas pelos ocupantes do Poder”.

O chefe da Ordem também criticou o “cinismo” do presidente da Câmara, Rodrigo Maia, que estaria ignorando os pedidos de impeachment já apresentados – um deles, pela própria OAB.

“Trata-se de um momento e situação tristes. Mas a lei deve ser aplicada rigorosamente a todos, independentemente do cargo ocupado. Um futuro melhor para o Brasil depende do respeito à lei e às instituições”, disse ele.

Lamachia, no entanto, não se desculpou por ter apoiado o golpe parlamentar de 2016, que derrubou Dilma Rousseff, a presidente legítima e honesta, instalando uma quadrilha no poder.

Brasil 247