Brasília- DF 29-06-2016   Presidente interino, Michel Temer durante Cerimônia de liberação de recursos para Educação Básica

e Superior

Palácio do Planalto Foto Lula Marques/Agência PT

Responsável pela maior taxa de desemprego da história do Brasil, com mais de 14 milhões de pessoas sem trabalho, e articulando o desmonte da CLT e da Previdência, Michel Temer afirmou em discurso que não chegou ao governo para “destruir trabalhadores”; em discurso a portas fechadas no Palácio do Planalto, em vez de admitir os erros, Temer disse ver uma luta política contra seu governo; “Até parece que chegamos aqui para destruir os trabalhadores. O destino me colocou aqui, Deus me colocou aqui para cumprir uma missão difícil”, afirmou.

Michel Temer, responsável pela maior taxa de desemprego da história do Brasil, com mais de 14 milhões de pessoas sem trabalho, e articulando o desmonte da CLT e da Previdência, afirmou em discurso que não chegou ao governo para “destruir trabalhadores”.

Em discurso a portas fechadas no Palácio do Planalto, em vez de admitir os erros, Temer disse ver uma luta política contra seu governo.

As informações são de reportagem de Marina Dias na Folha de S.Paulo.

No discurso, Temer demonstrou se sentir injustiçado e falou que sua gestão sofre com a campanha contra as reformas trabalhista e previdenciária, alvo de resistência, inclusive, entre integrantes de sua base aliada.

Em defesa das propostas, ambas em tramitação no Congresso, Temer admitiu que a reforma da Previdência é ‘saborosa para a oposição e amarga para a situação” e disse que as mudanças nas leis trabalhistas não retiram direitos dos trabalhadores. ‘As mentiras alardeadas têm sido brutais’, declarou

‘Até parece que chegamos aqui para destruir os trabalhadores. O destino me colocou aqui, Deus me colocou aqui para cumprir uma missão difícil, complicada’, completou Temer.’

Brasil 247