O senador João Capiberibe (PSB) disse na noite desta quarta-feira, 03, que o governador Ricardo Coutinho (PSB) foi convidado para ser candidato a presidente pelo partido, pediu um tempo para pensar e ainda não deu o retorno.

Em entrevista ao programa Master News, da TV Master, líder do PSB no Senador disse que “a posição política do governador paraibano sempre muito firme e os bons ventos que o trabalho desenvolvido no estado traz para todo o Brasil, as notícias positivas que nos chegam da gestão de Ricardo Coutinho repercutiram dentro do partido, levou a muitos líderes do partido, como a senadora Lídice da Mata, pensar no nome do governador para disputar a vaga de presidente nas próximas eleições, estamos com uma grave crise de representação, que leva a uma crise ética, junto com outras pessoas do PSB queremos debater um programa para o país e para a sociedade brasileira”.

Sobre a reação de Ricardo Coutinho ao receber o convite, Capiberibe afirmou que o paraibano ouviu tudo com muita atenção, mas alertou que por ser um gestor de estado pequeno, poderia enfrentar mais desafios no cenário nacional, “mas o que ele tem feito na Paraíba tem reflexos em todo o Brasil, eu não sei se ele vai aceitar, mas será muito importante para a Paraíba”, disse.

Ele afirmou que a motivação é ter Coutinho como candidato a presidente porque é uma figura muito respeitada dentro do partido, “além da boa imagem de gestor, é um gestor que mantém pagamentos em dia, ele não disse nem sim nem não, prometeu pensar e dar uma posição depois e nós estamos esperando”.

Questionado sobre o posicionamento dos parlamentares do PSB sobre as propostas de reformas trabalhistas e da previdência, o senador paraense afirma que a intenção do governo federal é acabar com os direitos dos trabalhadores, “levando muitos trabalhadores de volta a um regime equivalente a escravidão”, destacou.

Capiberibe finalizou dizendo que a orientação do PSB para todos os parlamentares é votar contra a aprovação das reformas que vão precarizar ainda mais a vida dos brasileiros, sobretudo os brasileiros mais humildes.

 

Créditos: Polêmica Paraíba