Resultado de imagem para foto nota de esclarecimentoA VERDADE DOS FATOS
Na tentativa de desmentir órgãos de credibilidade como o jornalismo paraibano e da maior instituição que rege os interesses dos municípios que é a Confederação Nacional dos Municípios, perde-se a oportunidade de esclarecimentos necessários a todos de interesse público, principalmente aos aguabranquenses, com a utilização dos meios sem credibilidade que somente fomentam a discórdia e inverdades.
Foi noticiada pelos meios de comunicação já acima mencionados de que a administração atual do município de Água Branca PB encabeça a lista dos devedores da Receita Federal no que se refere ao débito correspondente ao PASEP dos meses de janeiro, fevereiro e março gerando bloqueio das contas desta administração atual.
Fomos surpreendidos novamente, constando na rede social, informação colocada inadvertidamente por alguém que foi instruído para tal, de que o débito refere-se a gestão passada, utilizando uma documentação que nada corresponde ao bloqueio. Uma dívida que a prefeitura tem com a CAGEPA que está notoriamente explicado na sequência.
Com esta afirmação nota-se a intenção proposital de plantar a desconfiança sobre a gestão anterior junto a opinião pública.
Desta forma, o Ex Prefeito de Água Branca, Tarcísio Firmino, sentiu-se na obrigação dos esclarecimentos e veio a público através da rede social falando sobre o assunto.
. Os débitos mencionados referem-se ao PASEP dos meses de janeiro, fevereiro e março vencidos no dia 25, gerando bloqueio do repasse do dia 20 da conta do FPM.
. O parcelamento demonstrado com intuito de mascarar o atraso e na tentativa de reverter as responsabilidades e enganar a opinião pública, refere-se ao débito da CAGEPA muito antigo e que vem desde a primeira gestão. Em virtude da identificação de várias cobranças indevidas e pelo fato da CAGEPA nunca ter ressarcido o IPTU devido a administração anterior ofereceu a proposta de encontro de contas o qual nunca foi aceito pela mesma.
. O parcelamento mostrado refere-se ao débito do Fundo Municipal de Saúde cujo acordo solicitado e aprovado pela Câmara dos Vereadores, portanto de conhecimento público que está sendo utilizado para mascarar o erro cometido pela atual administração. Este parcelamento também é do conhecimento do novo governo conforme ofício emitido pela secretaria de Finanças da época feita à nova gestão cujo débito é efetuado diretamente na conta do FPM que acontece todos os dias 10 de cada mês o que desmente que a gestão atual não tinha conhecimento.
.Para o esclarecimento definitivo, a população aguabranquense e agora também a todos que acompanham o episódio, devem ser comunicados com referência ao saldo de cada conta e quantidade de recursos deixados pela gestão passada em favor da atual (FPM, ICMS e Infraestrutura). Nesta última, só em obras foram deixadas mais de 2 milhões de reais, sendo desta maneira evitando as mentiras que são atribuídas a gestão anterior na tentativa de denegrir a imagem construída com sacrifício e honestidade a toda prova.
. Quando Tarcísio assumiu em janeiro de 2013, teve que fazer um parcelamento do valor de mais de 600 mil reais correspondente ao Instituto de Previdência (AguaBrancaPrev) que o ex prefeito Aroudo não teve condições de pagar. Nem por isso Tarcísio fez alarde e muito menos culpou Aroudo por erros da sua gestão.
 Quando se assume um governo é com ônus e bônus. O que realmente deve prevalecer é a competência.
JC