Perfil de Tião Lucena

Tovar e Raimundo Lira

 

Quando Raimundo Lira foi eleito senador da república em 86,na chapa de Tarcisio Burity, o deputado Tovar Cunha Lima não era sequer nascido. Naquela época, Lira representava Campina Grande, embora nascido em Cajazeiras, e era amigo da família Cunha Lima.

Agora senador de novo, desenvolvendo um brilhante trabalho em Brasília e revelando-se um ardoroso defensor da independência de nosso Estado, Lira parece que começa a incomodar.

Numa entrevista prestada a uma emissora de rádio da cidade de Sousa, no final de semana, Tovar chamou Lira de forasteiro: “Passou 20 anos ausente. Não conhece a Paraíba”.

Ai tem coisa.

 

O Viaduto do Geisel

 

Durante visita ao Viaduto do Geisel neste sábado, o governador Ricardo Coutinho anunciou que o inaugura dia 20 do corrente, dentro do pacote natalino de obras que ele vai entregar ao povo da Paraíba neste final de ano.

“Essa obra era um sonho e uma necessidade da população pessoense. O Viaduto resolve essa dificuldade que era interligar a grande João Pessoa. O Governo do Estado teve muita determinação para concluir esta obra que é, sem dúvida, a maior já feita na área de mobilidade urbana. Como podemos ver, está quase tudo pronto, inclusive aqui não há mais congestionamentos, o tráfego está fluindo muito bem. Quero inaugurá-lo oficialmente no próximo dia 20, dando esse presente de Natal para o povo”, afirmou o governador.

 

Falha do marqueteiro?

 

Tenho pra mim que a ex-primeira dama Pamela Bório não está seguindo integralmente as orientações do seu marqueteiro, Gutemberg Cardoso, que, segundo saiu na imprensa, teria sido encarregado de melhorar sua imagem junto ao público.

Divulgar diálogos com o ex-marido, nos quais o filho é exposto e nos quais deixa de dar remédio ao menino e o leva para o sereno das ruas, só faz depreciar a sua imagem de mulher sofrida e de mãe extremada.

 

Os apelidos da Odebrecht

 

A Odebrecht dava dinheiro aos políticos, mas os batizava com um deboche de doer na alma.

Justiça”, “Boca Mole”, “Caju”, “Índio”, “Caranguejo”, são de lascar.E mais de lascar ainda é o “Todo Feio” de nosso Inaldo.

 

Cadê o dinheiro ?

 

Milhões entraram nos cofres da Prefeitura de Princesa. Entraram e sumiram. Os servidores públicos foram ao banco achando que encontrariam alguma laminha e só encontraram o banco.

E o prefeito, ainda por cima, orientou seus secretários a entrarem na justiça para cobrar do novo prefeito os salários que o atual não pagou.