A Justiça de São Paulo condenou Elize Matsunaga pela morte do marido Marcos Matsunaga. Ela foi sentenciada a 19 anos e 11 meses de prisão em regime fechado.

A decisão saiu na madrugada desta segunda-feira (5). O juiz Adilson Paukoski leu a sentença de Elize às 2h07. Ele não permitiu que a imprensa fizesse imagens da condenada, mas ela acompanhou tudo em pé, de cabeça baixa, não esboçou reação quando o juiz leu a sentença dela por dois crimes: homicídio e destruição e ocultação de cadáver.

O júri desconsiderou duas das três qualificadoras pedidas pela promotoria: motivo torpe – a acusação dizia que Elize matou Marcos por vingança e por interesse no seguro de vida – e meio cruel, baseado na suposição de que ela teria começado a esquartejar o marido enquanto ele ainda estava vivo.

A qualificadora aceita pelo júri foi a que considera a impossibilidade de defesa da vítima. por conta desse quadro, a defesa afirma que ganhou mas não levou, pois eles comemoram a queda das duas qualificadoras, mas acham que, ainda assim, a pena dada pelo juiz foi muito alta e eles vão recorrer.

A promotoria também chegou a mencionar recurso, mas disse que ainda não está definido e afirmam terem saído satisfeitos com a decisão. A intenção da acusação era que Elize pegasse de 19 a 25 anos de detenção.