“Este será o cenário social e político daqui para a frente, que servirá de pano de fundo para várias disputas políticas: (1) A crise fiscal, obrigando o governo a impor sacrifícios, (2) os sacrifícios recaindo sobre os mais fracos e poupando os grandes marajás dos setores político, público e Jurídico, (3) denúncias que continuarão a fluir da Lava Jato, (4) uma política econômica que, para desconstruir a Constituição de 1988, não vacilará em aprofundar a crise, através dos instrumentos fiscais e monetários”, “Bato três vezes na madeira, mas temo que os chamamentos às Forças Armadas não se restringirão a malucos querendo abolir a bandeira do Japão”

“Essas pessoas que estão a vociferar por mais um golpe de Estado não estão ‘expressando uma opinião’. Clamar por golpe militar não é uma opinião. É um crime, o pior de todos os crimes em uma democracia. Quem quer a causa quer os efeitos. Quem pede por golpe militar está a gritar por assassinato, tortura, ocultação de cadáver, censura, estupro, terrorismo de Estado”; a invasão da Câmara por manifestantes pedindo intervenção militar mostra, agora sem disfarces, um doloroso capítulo na regressão política em que o país está imerso.