Publicado em : 03/11/2016 às 02:49

0b26f128bc77a34c7b5521371cf9cd4a

A energia contagiante da juventude estudantil deu o tom da manifestação ocorrida na manhã desta quinta-feira, dia 03, que chamou a atenção da sociedade patoense para as medidas do presidente Michel Temer (PMDB), que visam fazer o congelamento dos gastos do Governo Federal nas áreas sociais pelos próximos 20 anos.

Duramente criticada durante o ato, a PEC 241, aprovada por grande maioria da Câmara dos Deputados em duas votações, agora segue para o Senado como PEC 55. O projeto muda a Constituição Federal permitindo congelar gastos públicos, principalmente na educação e saúde.

Ato contra a PEC 241
A manifestação ocorreu depois de vários debates, discussões e diálogos que levaram a entender que os malefícios da PEC 55 deve causar uma catástrofe social em setores públicos já bastante debilitados.

Professores universitários, da rede estadual, da rede particular de ensino, além de servidores de diversas áreas, também se fizeram presentes ao lado dos estudantes para expor o ponto de vista e tentar sensibilizar os políticos para reverter a votação através do Senado. As escolas Monsenhor Manuel Vieira, GEO/Patos, Cristo Rei, José Gomes Alves, Rio Branco, PREMEM, além do IFPB/Patos, FIP, UFCG/Campus Patos, dentre outras instituições se fizeram presentes.

O professor Ronaldo Lima, do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia da Paraíba, Campus Patos (IFPB/Patos), disse que além da manifestação desta quinta-feira, haverá um debate aberto ao público no auditório do Fórum Miguel Sátiro na próxima quarta-feira, dia 16
às 19h00. “Queremos aprofundar mais ainda o debate com a sociedade. As pessoas que são favoráveis a PEC podem ir para expor o seu argumento. Nós vamos fazer uma discussão saudável sobre esse momento que consideramos de retrocesso para o Brasil, mas que alguns acham normal”,relatou professor Ronaldo.

Vários estudantes fizeram uso da palavra para mostrar o quanto a PEC e a medida provisória que modifica o ensino no país estão na contramão das necessidades da sociedade. Poemas, músicas e palavras de agitação coletiva foram usadas e ecoaram pelas ruas da cidade de Patos.

A professora e diretora da Escola Geo/Patos, Edlene Medeiros, relatou que as medidas do Governo Federal atingem um setor que merece mais investimentos e não congelamento nos investimentos. “Um país que quer desenvolvimento não pode tratar a educação, saúde e outros setores sociais como gastos. Nós sabemos o quanto essas medidas são nocivas a nossa juventude e as futuras gerações”, comentou Edlene.

A vereadora Cláudia Leitão se disponibilizou a pedir uma sessão da Câmara Municipal de Patos para debater a PEC 241, agora PEC 55. A sessão ocorreria nesta quinta-feira, dia 03, porém problemas de agendamento fizeram com que fosse remarcada.

Fonte: Patos Online