Carlos Alberto Torres fez sua última participação na emissora no último domingo durante o programa “Troca de Passes”
 
Capitão do tricampeonato da seleção
brasileira na Copa do Mundo de 1970, o ex-lateral Carlos Alberto Torres
morreu aos 72 anos nesta terça-feira. O ex-jogador, que atualmente
trabalhava como comentarista da Sportv, sofreu um infarto fulminante.
 
Carlos Alberto Torres fez sua última
participação na emissora no último domingo durante o programa “Troca de
Passes”. Ele estava em sua casa no Rio de Janeiro quando sofreu o
infarto. Segundo a TV Globo, Torres estava acompanhado do amigo e
comentarista Ricardo Rocha quando começou a se sentir mal, chegou a ser
encaminhado para o hospital, mas não resistiu.
 
Além de comentarista, Torres também
era membro do Comitê de Reformas da Confederação Brasileira de Futebol
(CBF), grupo que estuda reformas em Código de Ética,
Estatuto, Licenciamento e Registro, Calendário e Futebol Feminino. O grupo se reunia a cada dois meses para debater o assunto.
 
Carlos Alberto Torres marcou época no
futebol brasileiro não só por sua passagem na seleção, mas também pela
carreira trilhada em clubes do país, como Santos, Botafogo e Fluminense.
Foi tricampeão carioca pelo time tricolor (1964, 1975 e 1976) e
pentacampeão paulista na equipe santista (1965, 1967, 1968, 1969 e
1973).
 
Ao pendurar as chuteiras em 1982,
quando atuava pelo New York Cosmos, Carlos Alberto Torres iniciou a
carreira de treinador com o título brasileiro de 1983 com o Flamengo.
Passou por diversos clubes até o trabalho no Paysandu em 2005, o seu
último na profissão.
 
Mas a cena que ficará imortalizada em
sua vida no futebol é a da Copa do Mundo de 1970, quando levantou a
taça Jules Rimet ao término da campanha histórica. Foram seis vitórias
em seis jogos de um time que reuniu Pelé, Tostão, Jairzinho, Gerson e
Rivelino.(UOL)